sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Carta aberta ao Papa Francisco

                      AO  PAPA  FRANCISCO


Resultado de imagem para padres nas touradas

Foi noticiado que em 2017 teremos a sua visita em Lisboa, no  100º aniversário das Aparições de Fátima!


 Porque será que não estarei presente em nenhum desses locais?




 Simplesmente porque estou zangada!


Sim, eu sei que já falou sobre a violência sobre os animais e bla... bla...bla...


                                           Mas será que o ouviram?


    Creio que não, porque o que mais vejo por aí, são representantes de Deus na Terra a apoiar e mesmo a maltratar esses seres indefesos da Criação que prefiro rezar ao meu Deus em casa e entrar apenas numa Igreja para apreciar a sua majestosa arquitectura e obras de arte, porque deixei de acreditar que um padre seja melhor que eu que não preciso de carne para sobreviver, nem de sangue para me divertir.


                              Um líder precisa ser respeitado e seguido! 


   Um Papa é o líder de um rebanho numeroso que precisa ser educado e guiado para a paz, pelo respeito à Natureza e a todos os seres que a habitam, mas parece que não é este o caso, quando vejo os padres deste meu país e não só, fazerem da barbárie dos espectáculos tauromáquicos os seus cartões de visita e o ignóbil pretexto para a angariação de fundos manchados de sangue para as suas paróquias.


       Querem ainda que eu acredite no Pato Donald ou no Tio            Patinhas?

   De todos os mails que escrevi a Bispos e párocos, nenhum deles me respondeu.
   Pedia-lhes que repensassem os seus actos, partilhei até as suas palavras sobre a violência a que os animais são sujeitos, o 1º Mandamento da Lei de Deus e sei lá mais o quê, para que se tornassem gente, porque o sofrimento ignóbil que neste caso, faz dos pobres touros, objectos de humilhação, tortura lenta e morte para diversão de seres sem sentimentos, não coubesse na Religião Católica! 


   Deveria hoje ser este Papa, tal como outros o fizeram antes, a proibir que representantes de Deus na Terra se portassem como vis carniceiros de almas vendidas e subjugadas pelo vício, o compadrio com sistemas anti- éticos, imorais e o sadismo macabro de ver torturar seres inocentes...  



   É por isto, Papa Francisco que não irei nem a Lisboa, nem a Fátima, porque a minha zanga só passará, quando vir actos e não demagogia! 

4 comentários:

  1. Concordo com as razões que apresenta para não ir dar as boa vindas ao Papa Francisco, que parece tão pouco preocupado com a exploração e com o sofrimento provocado pelos humanos aos animais e que se abstém de admoestar o seu clero e os crentes da sua Igreja a não aceitarem, a não organizarem, a não abençoarem actos de violência exercida sobre animais, o que até deixa transparecer muito pouca empatia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há mto q a empatia se foi, caro Dr Vasco Reis...

      Eliminar
  2. Olha, Teresa, escrevi depois de ler teu texto.
    https://animalisliberandum.blogspot.ch/2016/10/o-dia-em-que-o-sol-bailou-em-portugal.html?spref=fb

    ResponderEliminar
  3. Teresa,
    A hipocrisia da igreja e a ingenuidade (e os interesses) de quem a segue e de que eles se aproveitam, é incomensurável...
    O Papa João Paulo II, tão admirado e enaltecido no seu papado (até já foi canonizado ou qq coisa do género) é para mim mais um período de tolerância da máfia... senão vejamos:
    O papa J. Paulo I foi envenenado pela máfia do Vaticano porque tentou lutar contra ela (leiam "Em nome de Deus" de David Yalop).
    O papa Ratzinger (Bento XVI), renunciou por se aperceber da continuação da máfia no Vaticano e não sentir forças para lutar contra ela.
    Entre estes 2 papas (J. Paulo I e Bento XVI) esteve o João Paulo II, certo ?
    Então se antes do J.P. II havia máfia e depois dele continuou a existir, o que fez J.P. II no seu papado contra este cancro?
    Para bom entendedor...

    ResponderEliminar